Secretaria de Saúde de Betim realiza vacinação contra a gripe dentro de empresas

0
396

Objetivo é imunizar os trabalhadores e ampliar a cobertura vacinal no município  

Para ampliar a imunização da população contra o vírus da Influenza, que causa a gripe, os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Betim estão visitando algumas empresas do município, levando a vacina até os funcionários que queiram ser imunizados. Até o momento, já foram aplicadas mais de 2 mil doses em diversos estabelecimentos, como supermercados, frigoríficos e indústrias.

De acordo com o diretor de Vigilância em Saúde, Nilvan Baeta, restam poucas doses da vacina no município. “As doses remanescentes da vacina estão sendo oferecidas para a população em geral, desde o dia 1º. de julho. Como ainda há baixa procura nas unidades de saúde e restam algumas doses, estamos realizando mais esta ação para incentivar a imunização da população”, explica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O diretor destaca que a vacinação continuará sendo realizada nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) enquanto durarem os estoques. “Orientamos que as pessoas entrem em contato com as suas UBSs de referência para verificar se ainda há doses disponíveis, especialmente quem faz parte dos grupos prioritários e ainda não se vacinou”, afirma.

A vacina contra a gripe não protege contra o coronavírus. Mas aumentar a cobertura vacinal da população é fundamental para a prevenção da Influenza, uma doença que também pode provocar complicações graves e até a morte. Além de proteger contra a gripe, a vacina auxilia a triagem correta dos pacientes para acelerar um eventual diagnóstico de Covid-19.

Balanço
A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza foi realizada de março a junho. Inicialmente, as doses foram aplicadas somente nos grupos prioritários e, após quatro meses de campanha, a vacinação foi aberta para a população, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

Ao longo da campanha, foram aplicadas mais de 110 mil doses da vacina na população de Betim. A meta era atingir 90% de cobertura vacinal em todos os grupos prioritários. Mas enquanto alguns grupos tiveram uma adesão maior do que o público inicialmente previsto, como os idosos e os profissionais de saúde, outros não aderiram à campanha com o mínimo necessário.

Segundo os dados da Central de Vacinas de Betim, até essa segunda-feira, 27, os idosos alcançaram 137,24% de cobertura e os profissionais de saúde 115,58%. Já as menores coberturas, que não atingiram a meta, estão entre os adultos de 55 a 59 anos de idade, com 50,07%; gestantes, 54,63%; crianças, 58,7%; e puérperas, 64,88%.