Prefeitura de Betim capacita servidores em curso básico de Libras

0
309
Arquivo/PMB

A pessoa com surdez moradora de Betim poderá contar, em breve, com o apoio de mais servidores aptos a recebê-la com qualidade nos equipamentos municipais. É que a prefeitura, por meio da Coordenadoria de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência (Caapd), certificará, na próxima quinta-feira (16), uma nova turma que concluiu o Curso Básico de Libras – Módulo I, oferecido em parceria com a Associação de Surdos de Betim. A formatura será realizada na Escola do Servidor, no Centro Administrativo (rua Pará de Minas, 640, Brasiléia) e incluirá uma apresentação dos servidores certificados pela coordenadoria. A Caapd é vinculada à Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas).

Ministrado por instrutores surdos habilitados, o curso é voltado para servidores que atuam nos equipamentos mantidos pela Semas, mas, conforme explica a coordenadora de Assistência à Pessoa com Deficiência, Patrícia Gil, novas vagas serão abertas em 2022. “Inicialmente contemplaremos os conselheiros tutelares, mas, depois, abriremos oportunidades para servidores de todas as pastas da administração municipal”. Ela informa ainda que o objetivo é capacitar o maior número possível de servidores e que, por esse motivo, os cursos têm nível básico. “Se fôssemos aprofundar muito o conteúdo, teríamos que manter uma mesma turma por um longo tempo. Por isso, para capacitar mais pessoas a acolherem o surdo com qualidade, estabelecendo pelo menos uma comunicação que atenda os principais pontos, abriremos turmas sequenciais no módulo I”.

Além de receberem a certificação, os cursistas realizarão uma apresentação para demonstrar um pouco do que aprenderam entre os meses de setembro e dezembro. “Nosso objetivo é tratar de forma mais humanizada a pessoa com surdez que acessa os equipamentos públicos municipais. É promover a capacitação daqueles servidores que estão na ponta e que fazem o acolhimento da população para que qualifiquem seu atendimento e recebam de forma mais adequada os surdos, direcionando-os ao atendimento demandado. É, também, proporcionar mais igualdade de oportunidades, oferecendo à pessoa com surdez o mesmo acesso aos serviços que os demais cidadãos possuem”, ressalta Patrícia Gil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O curso é uma forma de valorizar o servidor, pois estamos investindo na capacitação de nossos profissionais e, ao mesmo tempo, é uma forma de valorizar a população, pois promove mais inclusão, mais acolhimento e mais qualidade no atendimento. O servidor fica mais satisfeito, pois consegue desempenhar um trabalho melhor, e a pessoa com surdez – que precisa de um acolhimento diferenciado – também fica, pois consegue acesso aos serviços dos quais necessita”, pontua a vice-prefeita e secretária municipal de Assistência Social, Cleusa Lara.