Prefeitura concede menos da metade do reajuste da passagem proposto pelas empresas de ônibus de Contagem

0
205

Executivo Municipal exigiu renovação de metade da frota em 2019 e ampliação de serviços prestados aos usuários

A Prefeitura de Contagem informa que após negociações com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram), com a participação do Conselho Municipal de Transportes, ficou definido o reajuste de cerca de 7% das passagens das linhas de ônibus municipais, menos da metade do que foi solicitado pelas empresas (17,17%). A passagem passará de R$ 4,05 para R$ 4,35 para pagamento com o Cartão Ótimo a partir do da 0h01 de quarta-feira (9 de janeiro). O último reajuste em Contagem foi em 2016.

O reajuste para R$ 4,35 no Cartão Ótimo somente foi concedido após as empresas firmarem os seguintes compromissos:

1- Renovação de 50% da frota em 2019 – a outra metade ocorrerá em 2020;

2- Instalação de GPS em todos os ônibus;

3- Conclusão, em 60 dias, de um aplicativo que permitirá ao passageiro verificar horário, itinerário das linhas, entre outros, e denunciar falhas na prestação de serviço, além de um site com informações para o usuário;

4- Instalação de Wi-Fi gratuito em todos os ônibus.

A Prefeitura, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes de Contagem (Transcon), ressalta que 73% dos 100 mil usuários, por dia, dos ônibus municipais, utilizam o Cartão Ótimo para pagamento da tarifa. A Transcon exigiu das empresas de ônibus a criação de postos itinerantes pela cidade para facilitar a confecção do Cartão Ótimo, que é oferecido gratuitamente.

A partir do segundo semestre, o pagamento da passagem também poderá ser pelo cartão de crédito. Quem optar pelo pagamento em dinheiro, a tarifa será R$ 4,50.

Sobre o retorno dos cobradores, a Prefeitura esclarece que a pauta foi debatida com as empresas. No entanto, dois pontos impedem o retorno destes profissionais em Contagem:

1- O fato de o novo modelo de transporte estar em licitação e a previsão da mudança de todo o sistema de bilhetagem em seis meses;

2- Com a extinção da função de cobrador, em 2016, os motoristas tiveram um adicional ao salário. O retorno dos cobradores acarretaria na diminuição do salário dos motoristas ou um reajuste maior na tarifa.