Polícia Civil apreende mais de 60 mil litros de álcool que seriam utilizados para falsificar cachaça

0
215
Divulgação/PCMG

Nesta quarta-feira (17), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), com apoio do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), apreendeu em Contagem, mais de 60 mil litros de álcool etílico que renderiam o dobro do volume em cachaça falsificada. O proprietário do estabelecimento fiscalizado, um homem de 40 anos, foi preso em flagrante.

As investigações, conduzidas pelo Departamento Estadual de Combate à Corrupção e a Fraudes (Deccof), indicam que o local era utilizado para adulterar e falsificar bebidas alcoólicas, principalmente cachaça. “Os investigados estariam produzindo as falsificações utilizando álcool etílico, desdobrado em água, adoçante industrial e serragem”, informa o delegado responsável, Marlon Pacheco de Castro.

Ainda de acordo com o delegado, titular da 3ª Delegacia Especializada em Investigação de Fraudes, os investigados estariam envolvidos no crime tipificado como “corromper, adulterar, falsificar ou alterar substância ou produto alimentício – no caso em questão, bebidas alcoólicas –, assim como a exposição à venda, a manutenção em depósito para venda e distribuição de produtos falsificados, corrompidos ou adulterados”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O chefe do Deccof, delegado Júlio Wilke, destaca o duro golpe que a operação da PCMG representa à fraude. “Esses 60 mil litros de álcool iriam render cerca de 120 mil litros de cachaça falsa, altamente prejudicial ao consumo. Além disso, representa um prejuízo aproximado de R$ 2,4 milhões”, diz.

Após a formalização da prisão em flagrante, o suspeito foi encaminhado ao sistema prisional.