Orquestra Filarmônica de Minas Gerais se apresenta em Betim nesse sábado (12)

0
1078

Apresentação na Praça Milton Campos faz parte da turnê estadual do grupo

 No próximo sábado (12), às 20h, a Praça Milton Campos, em Betim, será palco de mais uma bela apresentação da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. O Circuito Instituto Unimed-BH oferece aos moradores da cidade, gratuitamente, a oportunidade de assistirem a interpretações de obras como a Protofonia de O Guarani, de Carlos Gomes; a Valsa do Imperador, de Strauss Jr.; o Prelúdio das Bachianas Brasileiras nº 4, de Villa-Lobos; a Dança Eslava, op. 72, nº 2, de Dvorák; o Ponteio, de Claudio Santoro; a Rapsódia para Orquestra, de Toyama; e Gonzaguiana, de Cyro Pereira.
 
Sob regência do maestro Marcos Arakaki, a apresentação da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais faz parte do projeto Turnê Estadual. É realizado pelo Ministério da Cultura, Governo de Minas Gerais e Instituto Unimed-BH, por meio das Leis Estadual e Federal de Incentivo à Cultura.
 
Repertório

O concerto apresenta a obra máxima do maestro-compositor brasileiro paulista Carlos Gomes (1836-1896) – O Guarani –, baseada na romance de José de Alencar. O sucesso e impacto de O Guarani levou o compositor e maestro Giuseppi Verdi ao comentário entusiasmado de que Carlos Gomes era de fato um “vero genio musicale”. Em seguida vem a obra de um compositor que há muito está entre os mais queridos do público, Johann Strauss Jr.. Dele, a Orquestra executa a Valsa do Imperador. Além de clássicos do século XIX, os músicos interpretam o Ponteio, de Claudio Santoro, Gonzaguiana, de Cyro Pereira, entre outros.
 
Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Orquestra Filarmônica foi criada em 2008, com o intuito de inserir Minas nos circuitos nacional e internacional da música orquestral. Sob a direção artística e regência titular de Fabio Mechetti, a Orquestra é atualmente formada por 94 músicos, provenientes de todo o Brasil, Europa, Ásia, Américas e Oceania, selecionados por um rigoroso processo de audição.
 
Em 2015, a Filarmônica passou a se apresentar em sua sede própria, a Sala Minas Gerais, e intensificou sua programação. Hoje são 57 concertos por assinatura, com convidados da cena sinfônica mundial. A Orquestra realiza, ainda, 36 concertos dedicados à democratização do acesso à música clássica de qualidade, por meio de apresentações em cidades do interior do Estado, concertos para formação de público, concertos de câmara, bem como iniciativas de estímulo à profissionalização do setor: o Festival Tinta Fresca, dedicado a compositores, e o Laboratório de Regência, destinado ao aprimoramento de maestros.

Foto: Mariana Garcia/Divulgação