Nova audiência com a Vale é marcada para dezembro; indenização emergencial foi prorrogada até 31/12

0
1304

O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Gilson Soares Lemes, deferiu na tarde desta terça-feira (17/11), pedido da Vale para analisar a proposta feita pelas instituições jurídicas, nos processos que tratam de reparação dos danos provocados pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, em janeiro de 2019.

Representantes do Estado de Minas Gerais, Advocacia Geral do Estado (AGE), Advocacia Geral da União (AGU), Ministério Público Estadual (MPE), Ministério Público Federal (MPF), Defensoria Pública Estadual (DPE) e Defensoria Pública Federal (DPF) elaboraram e apresentaram na segunda-feira à noite, uma nova proposta que deverá ser analisada pela Mineradora. As partes voltam a se reunir em nova audiência dia 09/12.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na audiência desta terça-feira (17), foi apresentado o documento elaborado pelas instituições jurídicas aos advogados da Vale S.A., que solicitaram mais tempo para análise. Foi estabelecido um prazo de cinco dias.

Auxílio emergencial

“Foi mais uma etapa nesta tentativa de acordo entre as partes. O documento foi apresentado ontem à noite e a Vale não teve acesso a esta contraproposta. Um novo prazo foi concedido e marcamos uma nova audiência para o dia 9/12 quando esperamos selar um acordo com a Vale”, explicou o presidente do TJMG.

O auxílio emergencial será pago pela mineradora Vale às famílias atingidas até o dia 31/12.