Nem e Dr. Antonio lançam campanha em Igarapé

    0
    860

    Com a presença de mais de 700 pessoas, Nem do Zé Gavião e Dr. Antonio Minelvino deram inicio a campanha eleitoral.

    Na ocasião os candidatos da coligação “Para Continuar Avançando”, familiares e amigos, conheceram o material publicitário e acompanharam discursos empolgados de apoiadores da campanha.

    Além do prefeito de Igarapé, José Carlos, Kalu (PPS), o deputado estadual Pinduca (PP), o deputado federal Newton Cardoso Júnior (PMDB) e o ex-deputado federal Dr.Grilo (SD) estiveram presentes e declaram sua admiração pelo trabalho realizado por Nem como vice-prefeito do município. “Estou aqui por que confio que Nem vai continuar o trabalho limpo, honesto, sério e a favor do povo que, junto com Kalu foi iniciado, lá em 2009. Tenham certeza que meu gabinete, em Brasília estará a disposição para ajudar a atender as demandas de Igarapé”, afirmou Newton Cardoso Júnior.

    CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

    Nem, em seu discurso, agradeceu o apoio da família e falou um pouco da sua trajetória de vida, experiências e dos mandatos como vice-prefeito. “Estar aqui hoje é motivo de alegria para mim. Estou ciente de que fizemos muito por Igarapé e que ainda precisamos fazer mais. No início, sabíamos das dificuldades e que era necessário colocar a cidade nos trilhos. E, principalmente, sabíamos que Igarapé precisava se desenvolver economicamente”. Nem explicou que, hoje, com uma estrutura muito melhor em todas as áreas públicas e com as empresas chegando ao Distrito Industrial, é possível mudar o foco da Administração. “Não tenho dúvidas que agora temos mais condições de fazer um governo voltado para o social, com foco no povo e no funcionalismo público”, afirmou.
    Eleições mais curtas

    As eleições municipais neste ano serão as mais curtas dos últimos 18 anos: terão 45 dias, em vez de 90. Então, a partir de 16 de agosto, os candidatos  podem realizar comícios, distribuir material gráfico e organizar passeatas e carreatas. Ao longo dos últimos dois anos, mudanças na lei eleitoral foram aprovadas pelo Congresso Nacional e sancionadas pelo governo.