São Joaquim de Bicas: Obra na 381 prevê derruba de árvores históricas

    0
    921

    O projeto prevê melhorias na BR 381, mas pode prejudicar a paisagem da principal Avenida da cidade.

    A decisão da Auto Pista Fernão Dias de jogar ao chão árvores históricas, tem causado polêmica entre os moradores de São Joaquim de Bicas, além do corte das árvores que estão na Avenida Antonio Gabriel de Rezende, as margens da rodovia, parte da pista de caminhada também será destruída. Ao que tudo indica, os cortes devem começar das proximidades da Loja Dione Móveis, até a loja João Bosco Móveis.

    Em nota, a assessoria de imprensa da Autopista Fernão Dias, empresa do Grupo Arteris, informou que o projeto, aprovado prevê o corte de algumas árvores para a construção do trevo em desnível e que todas as intervenções ambientais previstas para a execução da obra em andamento na região, estão de acordo com a autorização concedida pelo IBAMA a esta concessionária, e serão compensadas conforme legislação ambiental vigente.
     
    Iniciada em agosto de 2014, a implantação de trevo em desnível no km 506+600 (Pista Norte e Pista Sul) da rodovia Fernão Dias (BR 381), no município de São Joaquim de Bicas/MG, tem por finalidade proporcionar melhor qualidade nos serviços prestados pela concessionária, com reflexo direto no conforto e na segurança dos usuários da rodovia.
     
    A obra consiste na execução de trevo em desnível e seus respectivos acessos, nas Pistas Norte e Sul da Rodovia Fernão Dias no km 506+600 e contempla os serviços de terraplenagem, execução de obra de arte especial, corte e aterro, implantação de dispositivos de drenagem, pavimentação asfáltica, sinalização vertical (implantação de placas) e horizontal (pintura).
     
    Para a construção do trevo, está prevista a supressão de aproximadamente 124 árvores, sendo 63 de espécies nativas, isoladas umas das outras, e a intervenção em 2.677 metros quadrados, em área de preservação permanente, já autorizadas pelos órgãos competentes. Para compensar as intervenções causadas no meio ambiente, será realizado o plantio de 2.021 novas mudas de árvores de espécies nativas típicas da região, em topos de morros, matas ciliares e ao redor de nascentes, contribuindo para a conservação das águas. A obra possui aproximadamente 1km de extensão e a previsão de conclusão é até julho de 2015.
    A Concessionária ressalta que estudará alternativas para verificar se há possibilidade de alterar o projeto para evitar, mesmo que parcialmente, o impacto na região, desde que seja possível ajustá-lo dentro das normas técnicas vigentes no país e aprová-lo junto à ANTT ““ Agência Nacional de Transportes Terrestres.

    CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

    Pista de caminhada

    Embora a pista de caminhada esteja dentro do perímetro das obras, a assessoria negou a informação de que parte dela será destruída.

    Afinal, o que é compensação ambiental ?
     
    A compensação ambiental é um mecanismo que possibilita devolver ao meio ambiente a vegetação suprimida por alguma atividade. Sendo necessária apenas para espécies nativas. A reposição das árvores suprimidas é realizada com espécies nativas típicas da região, preferencialmente do grupo da espécie suprimida, e acontece da seguinte forma:
     
    “¢ Para o corte de até 500 árvores, deverão ser plantadas 25 mudas para cada árvore cortada.
    “¢ Para o corte de entre 500 e 1000 árvores, deverão ser plantadas 30 mudas para cada árvore cortada.
    “¢ Para o corte de mais de 1000 árvores, deverão ser plantadas 40 mudas para cada árvore cortada.
    “¢ Para o corte de árvore ameaçada de extinção ou especialmente protegida, deverão ser plantadas 50 mudas para cada árvore cortada.