Ramacrisna é finalista do Prêmio Itaú-Unicef

0
1220

O projeto finalista é o Escola
Integral, uma parceria da instituição com a Escola Municipal Desembargador
Souza Lima

A Ramacrisna, Instituição Social de
Betim, é uma das finalistas da 12ª edição do Prêmio Itaú-Unicef na categoria
Regional Belo Horizonte. Este ano, a premiação tem como tema “Educação
Integral: Parcerias em Construção” . Ao todo, foram selecionadas 96 instituições
em todo o país, sendo 12 por cada regional. As finalistas foram escolhidas
entre mais de 1600 entidades em todo o Brasil após seis etapas de avaliações.

O Prêmio Itaú-Unicef foi criado em 1995
e busca identificar, reconhecer e estimular parcerias entre organizações e
sociedade civil (OSCs) e escolas públicas no desenvolvimento de projetos
sócio-educativos que contribuem com as políticas públicas de educação integral
para crianças, adolescentes e jovens em condições de vulnerabilidade
socioeconômica. O objetivo da premiação é reconhecer, estimular e dar
visibilidade ao trabalho de OSCs e escolas públicas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A vice-presidente da Ramacrisna,
Solange Bottaro, destaca a importância de participar da premiação. “O conceito
do prêmio tem tudo a ver com a nossa missão e os nossos valores. É um
reconhecimento do trabalho que fazemos e mostra que estamos no caminho certo.
Nos sentimos orgulhosos de participar de uma premiação chancelada pela Unifec” .
As vencedoras de cada regional serão anunciadas em outubro e novembro, em datas
a serem divulgadas. Já a premiação nacional, será realizada em dezembro.

O projeto inscrito pela Ramacrisna é o
Escola Legal que tem parceria com a Escola Municipal Desembargador Souza Lima,
no Bairro Açude, em Betim. Juntas, Escola e Instituição buscam o
desenvolvimento integral dos alunos, acreditando na educação como uma
ferramenta de transformação. “A grande motivação é proporcionar um trabalho
diferenciado aos estudantes, contribuindo para o desenvolvimento global das
crianças e especialmente para a melhoria da aprendizagem utilizando ferramentas
diferenciadas, atividades que envolvem arte, artesanato, cultural tecnologia,
descortinando um novo horizonte para alunos e sua família” , destaca Solange
Bottaro.

 

Todas as 182 crianças, de 6 a 13 anos,
matriculadas e frequentes na Escola Desembargador Souza Lima, participam das
atividades da Escola Integral na Ramacrisna. Duas vezes por semana, os alunos
têm acesso à internet, biblioteca, mesa alfabetizadora digital, oficinas de
informática, dança, artes e artesanato. Já as oficinas de letramento de
português e letramento de matemática, acontecem quatro vezes por semana. E duas
turmas participam da oficina de xadrez que é realizada uma vez por
semana. 

Além dessas atividades, são disponibilizadas
oficinas de comunicação (iniciação a fotografia), sessão de cinema comentada na
cinemateca, encontro com escritores e contadores de história na biblioteca,
palestras de prevenção ao uso de drogas, oficina de robótica e atividades
culturais como apresentação da Orquestra Jovem Ramacrisna, grupos de dança e
outros.

 

Sobre a Ramacrisna

 


Criada pelo jornalista Arlindo Corrêa
da Silva, a Ramacrisna desenvolve, há 58 anos, projetos culturais,
educacionais, aprendizagem, profissionalizantes, entre outros, voltados para
comunidade em situação de vulnerabilidade social de Betim e nove cidade do
entorno. O nome da instituição é em homenagem ao filósofo indiano Sri
Ramakrishna, ecumenista que viveu no século 19 e pregava o trabalho social como
forma de transformação do ser humano. Ela se tornou conhecida em todo o Brasil
como instituição do Terceiro Setor referência em projetos de
autossustentabilidade por possuir uma Fábrica de Telas de Arame. O resultado
obtido com as vendas é destinado ao setor social da Ramacrisna, garantindo mais
autonomia e uniformidade no atendimento às pessoas amparadas pelos projetos.

A Ramacrisna ainda coleciona, desde sua
fundação, diversas premiações renomadas, entre eles o selo Melhores ONGs
promovido pela Revista Época e Instituto DOAR que confirma a gestão e
transparência da Ramacrisna, e a certificação internacional “Great Place to
Work (GPTW)” , que reconhece os melhores lugares para se trabalhar, ambos
recebidos este ano. Somente em 2016, a instituição atendeu 91.935 pessoas em
sua sede e em parceria com o Poder Público.