Ex-prefeita de Betim é citada em delação da Odebrecht

0
1626

O nome da ex-prefeita de Betim, Maria do Carmo Lara (PT) consta em uma lista de contribuições ilegais feitas pela Odebrecht entre 2008 e 2014. A lista foi entregue pelo ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior à Justiça.
 
No dia 11 de abril, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou investigações contra políticos a partir do pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A PGR fez o pedido com base nas delações dos ex-executivos da Odebrecht.

De acordo com a lista do ex-executivo do Departamento de Operações Estruturadas, conhecido como setor de propina, Maria do Carmo de acordo com a planilha de doações ilegais, ela recebeu R$ 200 mil, em 2012. As razões do repasse não são informadas no documento. Ela recebeu o apelido de Bateria.

Atualmente, a petista ocupa a Presidência do Fundação Helena Antipoff, entidade ligada a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira a nota da ex-prefeita na integra:

Em relação a planilha dos
executivos da Odebrecht, na qual sou relacionada como beneficiária de R$ 200 mil
reais durante a campanha para à Prefeitura de Betim em 2012, venho a público
esclarecer:
    Não existe nenhum inquérito
aberto, em meu nome, para investigar eventuais doações da Construtora
Odebrecht. As doações de campanha que
recebi, foram regulamente declaradas e aprovadas junto a Justiça Eleitoral, não
constando o nome da construtora. Nunca mantive qualquer contato
com executivos ou diretores da Odebrecht para tratar de nenhum assunto e durante
a minha gestão, frente a Prefeitura de Betim, tal construtora não executou
nenhum tipo de serviço. Estou avaliando, junto a minha
assessoria jurídica, providências a serem tomadas para preservar a honra e a
ética que sempre pautaram minha vida pessoas e política.
 

Atenciosamente,
 
Maria do Carmo Lara Perpétuo.