Contagem: Feira do Eldorado terá mudanças

0
1462

O administrador da Regional Eldorado, Wellington Silveira, foi a participação da Tribuna Livre desta semana, na Câmara Municipal de Contagem. Ele foi convidado a pedido de alguns vereadores, que desde a semana passada retomaram as discussões sobre os impasses da Feira de Artesanato do Eldorado.

Na última reunião plenária, realizada no último dia 26, três expositoras da feira ocuparam a Tribuna Livre e relataram que a situação e o destino da feira ainda eram preocupantes, o que resultou em um amplo debate por parte dos vereadores e na ideia de convidar o responsável à frente da Regional Eldorado para esclarecer algumas questões.Por isso, nesta terça-feira (03/10), Wellington iniciou sua fala explicando que é inevitável que algumas modificações sejam feitas com relação à Feira de Artesanato do Eldorado, haja vista a notificação recebida no começo do ano por parte do Ministério Público e também pelo Corpo de Bombeiros, mas que não há nenhum indicativo de que ela será encerrada.

Já adiantando algumas notícias que serão dadas aos feirantes pelo próprio prefeito Alex de Freitas, em reunião ainda a ser confirmada, Wellington disse que a feira vai ser transferida para a Avenida João César de Oliveira, na faixa da direita sentido Centro-Cidade Industrial. Ela deve começar na esquina da José Faria da Rocha, perto do Iria Diniz, podendo se estender até o Big Shopping.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Se fechamos a Avenida João César para o “˜A Rua é Nossa”™, por que não para a feira? Se Belo Horizonte fecha a Afonso Pena para a Feira Hippie, por que não vamos fechar a João César para fazer nossa feira?” , analisou Wellington. Comemorada pelos feirantes e parabenizada pelos vereadores, a mudança, segundo o administrador regional, deve acontecer ainda no mês de outubro.

De qualquer forma, depois da transferência da feira, Wellington alertou que ela poderá, dentro de um prazo de 18 meses, ser momentaneamente passada para outro local, ainda a ser definido, uma vez que a João César passará por obras.

“Acredito que já seja do conhecimento de muitos que dentro de 18 meses o Governo inicia as obras do BRT, que passará pela avenida. Não havendo possibilidade de compatibilizar o funcionamento da feira com as obras, será necessário que ela passe, momentaneamente, para outro lugar, até que as obras sejam concluídas” , explicou.

Licitação é inevitável

“Uma imposição de natureza jurídica que não podemos transpor” . Esta foi a frase utilizada por Wellington para justificar o processo licitatório pelo qual os expositores da Feira de Artesanato do Eldorado deverão passar em breve. “Precisamos fazer a licitação para regulamentar a nossa feira, e a faremos. Mas, para isso, abriremos uma grande roda de diálogo para discutirmos o edital que norteará este processo” , afirmou.

O vereador Alex Chiodi (SD), no uso da palavra, lembrou que este assunto foi abordado na semana anterior, também na Tribuna Livre, quando ela foi ocupada por três representantes dos expositores da feira. O parlamentar reforçou a necessidade de fazer alterações na feira que, da forma como está, “apresenta vários e sérios problemas” , mas também que se preserve o direito de quem já expõe, para que a licitação seja justa.

Wellington, sobre isto, disse que não pode afirmar, de imediato, que os feirantes que já fazem parte da feira entrarão com vantagens de pontuação na licitação, apesar de esta ser uma vontade do Governo. “Até quinta-feira me comprometi a apresentar um estudo completo, avaliado juntamente com a Procuradoria, para que haja algum critério facilitador para quem comprovadamente já expõe na feira, mas não posso ser afirmativo neste momento, pois há que se respeitar o princípio da isonomia” , explicou. “Mas nossa intenção é incluir todas as pessoas possíveis, nos limites da lei, na feira” .

O vereador Leo Motta (PSDC) aproveitou a oportunidade para colher assinaturas dos vereadores em um requerimento de sua autoria (requerimento nº 1101/2017), juntamente com os demais membros da Comissão Parlamentar que acompanha o caso da Feira de Artesanato ““ Glória da Aposentadoria (PRB), Capitão Fontes (PMDB), Jair Tropical(PCdoB) e Zé Antônio do Hospital Santa Helena (PT).O requerimento formaliza a sugestão da Câmara: que os expositores, mesmo aqueles que não possuem credencial mas que comprovadamente já fazem parte da feira, acumulem pontuação extra e obtenham vantagem competitiva na licitação. “Esta é uma luta desta Casa” , finalizou Leo.

Outras mudanças

Existe uma polêmica que rodeia a superlotação atual da feira. Os expositores firmam que nos últimos anos, as autorizações para a participação dos expositores foram dadas de maneira informal, o que não possibilitou um cadastro de todos os participantes e nem o controle do seu número.
Desta forma, outra alteração que será feita na feira, de acordo com Wellington, diz respeito ao cadastro e autorizações dos expositores. “No passado, se expedia deliberadamente as autorizações, para atender interesses políticos de A ou B. Isso vai acabar. Estamos retirando esta atribuição da Regional e passando para a Secretaria de Desenvolvimento Urbano. (“¦) No assunto “˜feira”™, não vamos mais propagar esta insegurança, de que as pessoas poderão perder seu sustento e sua história de vida construída lá” .

Por fim, outra mudança tem a ver com seu layout e padronização. De acordo com Wellington, será feito um estudo para licitar uma empresa que ficará responsável pelo fornecimento e montagem das barracas, colocação de banheiros químicos e extintores e disponibilização de Bombeiros-Civis. “É da vontade e conhecimento de todos que a feira precisa e deve ser mais segura e bonita” , disse.

O presidente Daniel Carvalho (PV) encerrou o debate elogiando a postura de respeito e diálogo adotada pelo administrador Wellington Silveira, desde que chegou, há pouco tempo, na Regional Eldorado.  “E no que depender de nós, estaremos ao lado dos feirantes, para que este patrimônio da cidade não se perca” .