Betim rejeita cobrança de dívida milionária imposta pela Andrade Gutierrez

0
1505

Andrade Gutierrez é alvo da manifestação promovida por movimentos sociais, durante visita do governador na próxima quinta-feira

Os
movimentos populares de Betim promovem uma grande manifestação em
Betim, na próxima quinta-feira, 24. A cidade será sede do Fórum Regional
Metropolitano, promovido pelo Governo de Minas, quando cerca de 80
prefeitos, e o próprio governador, Fernando Pimentel, participarão do
encontro na Escola Estadual Amélia Santana Barbosa, no bairro Santa
Inês, em Betim.

Os manifestantes estarão concentrados na Praça da
Mecatrônica. Eles sairão em passeata pelo centro da cidade, em direção
ao fórum. O motivo é a cobrança de R$ 500 milhões por parte da Andrade
Gutierrez que alega ter feito obras em Betim entre os anos de 1979 e
1982. Investigada na Operação Lava Jato, a segunda maior empreiteira do
Brasil, suspeita de corrupção e de desvio de recursos públicos, exige
que o município pague parcelas mensais de R$ 10 milhões, o que irá falir
a cidade e impedir os investimentos municipais em todas as áreas. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O
ato “Betim não pagará pela Corrupção” , criado em julho, quer impedir
que a cobrança seja efetuada e, também, convocar a população para que
não aceite a cobrança. Os movimentos sociais alegam que as obras de
saneamento não possuem documentos que atestem a medição e realização das
obras. A administração municipal de Betim não reconhece a dívida, por
não terem sido apresentados documentos que a comprovassem legalmente, e
ingressou com uma ação civil na Justiça em março deste ano. O objetivo é
anular a cobrança, cujo embasamento é o indício de irregularidade e de
fraude na tal dívida.

Reconhecimento duvidoso

O
então prefeito Ivair Nogueira, hoje deputado estadual pelo PMDB, assinou
o pedido de reconhecimento da dívida em 11 de outubro de 1991, no mesmo
dia em que a empreiteira apresentou o ofício pedindo o pagamento da
dívida. De acordo com o que explicou o procurador-geral do Município de
Betim, Bruno Cypriano, a cobrança se baseou apenas em uma ata de
novembro de 1982, no fim do mandato do ex-prefeito Osvaldo Franco, além
do já citado reconhecimento por parte de Nogueira.

Por conta
desses indícios, o município ingressou, neste ano, com a ação judicial
solicitando a anulação da dívida que, em maio, uma liminar suspendeu o
pagamento. A Andrade Gutierrez recorreu ao Tribunal de Justiça de Minas
Gerais, que concedeu ganho de causa à empreiteira envolvida com o maior
escândalo de corrupção, em plena investigação pela Operação Lava Jato.

Duas
audiências públicas foram realizadas para tratar do problema. No último
dia 9, na Câmara Municipal de Betim, os representantes dos movimentos
sociais e da prefeitura se reuniram com os vereadores para tratar da
suposta cobrança. Já nesta terça-feira, 22, foi a vez dos deputados
estaduais ouvirem como a cobrança da suposta dívida irá prejudicar o
futuro e o desenvolvimento de Betim nos próximos anos.

Organização:

Os
organizadores da manifestação buscam mobilizar toda a população de
Betim contra essa cobrança indevida e abusiva, que irá prejudicar toda a
cidade e paralisar serviços essenciais para a população. As entidades
betinenses que realizando a mobilização são:

 – União da Juventude Socialista;

 – União Municipal dos Estudantes;
–  Sindicato dos Comerciários de Betim e Região;
– Sindicato da Construção Civil de Betim;
– Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais;
– Federação das Entidades Comunitárias Populares de Betim;
– Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil;
– União Brasileira de Mulheres;
– Associação Popular Amigos do Terê e Região;
– Associação Bem Estar do Betim Industrial;
– Associação dos Moradores do Vila das flores;
– Associação Mineira de Desenvolvimento Humano.
– Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região.

 

Manifestação contrária à Andrade Gutierrez

Data: 24 de agosto

Concentração: 8h

Local: Praça da Mecatrônica, Betim.

Trajeto:
saindo da avenida Amazonas até o cruzamento com avenida Governador
Valadares, seguindo até a rua Gabriel Passos, em direção à rua Viriato
Alexandrino de Melo, na Escola Estadual Amélia Santana Barbosa.